Siga nossas notícias

Sexta, 10 Agosto 2018 18:12

TURBIMAQ na Fenasucro 2018

A Turbimaq Turbinas e Máquinas estará mais um ano participando da Fenasucro.
Venha nos visitar.

Fenasucro 2018
21 a 24 de Agosto
Stand TURBIMAQ B82
Local: Centro de Eventos Zanini | Sertãozinho | SP
Horário: Ter. à Sex. das 13h às 20h
Site oficial da feira: https://lnkd.in/ejniEJE

 

Baixe o Aplicativo, favorite produtos, expositores, conheça a programação completa dos eventos de conteúdo e fique conectado ao maior evento do setor:
http://www.fenasucro.com.br/Visitar/Aplicativo-de-Celular/

 

 

Publicado em Notícias

As usinas de cana do Brasil continuarão a priorizar a produção do etanol em detrimento à de açúcar também na próxima temporada, já que a alta dos preços do petróleo impulsiona a demanda do biocombustível, disseram produtores e consultores.
Mesmo com os estoques gigantes de etanol, devido ao ritmo rápido da colheita da safra vigente em meio a condições secas no centro-sul, donos de usinas e canaviais disseram em entrevistas nesta semana que o bicombustível dá mais retorno que o açúcar.
Em alguns casos, usinas disseram estar paralisando as suas instalações de açúcar, para ajudar a economizar cana para produzir etanol.

O centro-sul do Brasil está colhendo uma safra menor de cana este ano, devido ao envelhecimento dos campos e uma severa seca. Isso acrescentou pressão para otimizar as operações, na medida em que as usinas procuram pelas melhores opções de receita.
O foco voltado para o combustível e o ritmo acelerado da colheita resultaram em estoques de etanol com 2,5 bilhões de litros a mais do que no mesmo período do ano passado, de acordo com estimativas da Bioagência, uma trading líder de etanol.
Isso tem pressionado os preços, mas o etanol ainda paga melhor que o açúcar, disseram os processadores.


Tarcilo Rodrigues, da Bioagência, disse que as usinas mais capitalizadas estão estocando etanol para vender após a safra, no começo de novembro, quando os preços devem subir. Outras, pressionadas pelo pagamento de contas, estão vendendo rapidamente.
“Alguns fazem dois litros e vendem os dois. Outros fazem dois, vendem um e estocam o outro. Outros estocam tudo”, ele disse.

 

Agosto, 2018
Fonte: Site Nova Cana – www.novacana.com.br

Publicado em Notícias

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o chefe da União Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciaram nesta quarta-feira (25) um acordo para iniciar negociações rumo a um ambiente comercial com "zero tarifa". O acerto é uma significativa guinada para arrefecer a disputa comercial entre as duas potências econômicas.
Para especialistas, se por um lado a trégua abre espaço para a economia global manter o crescimento, por outro ameaça o agronegócio do Brasil e as negociações do acordo entre União Europeia e Mercosul.

Entre as medidas acertadas por Trump e Juncker está o compromisso dos europeus de comprar mais soja dos EUA.
"Eles vão começar quase que imediatamente", disse Trump, ao se referir à promessa de compra de "muita soja" pelos europeus.
"Nós podemos importar mais soja dos EUA, e assim será feito", afirmou Juncker, que preside a Comissão Europeia, braço executivo da UE, durante o anúncio do acordo.
Nas últimas seis safras, o Brasil foi o principal fornecedor de soja à Europa. Isso pode mudar se a promessa feita nesta quarta se cumprir.
A questão envolvendo o Mercosul é mais complexa.

A primeira impressão do governo brasileiro é que a negociação aberta por Trump e Juncker não deverá prejudicar as conversas entre os blocos.
A discussão entre União Europeia e Mercosul está na reta final, e há a expectativa de que os países possam chegar a um acordo em reunião marcada para setembro, no Uruguai.
Alguns especialistas, porém, temem exatamente o contrário: que uma aproximação entre americanos e europeus represente a mais nova ameaça ao acordo costurado há mais de 20 anos entre Mercosul e o bloco europeu.

De qualquer forma, a redução da tensão comercial entre as duas das maiores economias do mundo foi celebrada por especialistas e deve ajudar o crescimento global. "A economia global só pode se beneficiar disso", afirmou a diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde.
Por ora, nenhuma tarifa foi suspensa ou eliminada. As conversas apenas estão no começo.

 

Julho, 2018
Fonte: Site Brasil Agro - www.brasilagro.com.br

Publicado em Notícias

O número de trabalhadores em usinas de cana-de-açúcar é menor, mas a qualidade dos empregos cresce. É o que revela estudo realizado por pesquisadores da Esalq/USP e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).
O trabalho aponta que embora o número de trabalhadores no setor sucroenergético tenha caído entre 2008 e 2016, a qualidade dos empregos no setor cresceu nesse período.

No período avaliado, os pesquisadores constataram aumento da proporção de trabalhadores no setor sucroenergético com maior escolaridade frente ao total de empregos e também elevação significativa dos salários reais.
Dentre outros fatores, esse cenário é resultado do processo de mecanização da colheita, notadamente na região Centro-Sul do Brasil.

De acordo com pesquisadores do Cepea e da Esalq/USP, essa mudança tecnológica trouxe evoluções importantes, como a possibilidade de empregos de melhor qualidade e ganhos salariais, que foram verificados inclusive entre os trabalhadores com menor qualificação.
O estudo também destaca os efeitos da crise na cadeia sucroenergética entre 2009 e 2016, que teve impacto principalmente na redução de empregos industriais, dado o fechamento de usinas no período.

 

Julho, 2018
Fonte: Site Jornal Cana – www.jornalcana.com.br

Publicado em Notícias
Sexta, 06 Julho 2018 14:59

Turbimaq mais um ano na Fenasucro

A Turbimaq Turbinas e Máquinas estará mais um ano participando da Fenasucro.

Venha nos visitar.

 

Fenasucro 2018
21 a 24 de Agosto
Stand TURBIMAQ B78
Local: Centro de Eventos Zanini | Sertãozinho | SP
Horário: Ter. à Sex. das 13h às 20h
Site oficial da feira: https://lnkd.in/ejniEJE

Publicado em Notícias

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) concordou na sexta-feira (22/06/2018) em aumentar a produção de petróleo em cerca de 1 milhão de barris por dia a partir de julho para o grupo e seus aliados, disse uma fonte do cartel. A elevação é nominal. O aumento real será menor porque vários países que recentemente produziram petróleo aquém do esperado terão dificuldade em retornar às cotas totais, enquanto outros produtores não terão permissão para preencher a lacuna, disseram fontes da Opep.

Ministros estão reunidos em Viena para discutir os rumos do pacto de corte de produção em vigor desde o ano passado.

Em paralelo, o ministro do petróleo do Iraque disse que a Opep deve ter cuidado antes de alterar esse acordo para que a oferta não exceda a necessidade do mercado e afete os preços.
Qualquer mudança poderia significar uma produção excedendo a demanda e “levando a uma queda nos preços do petróleo, prejudicando as economias dos países produtores”, disse o ministério em um comunicado.

 

Julho, 2018
Fonte: Site Panorama Offshore, notícia da Exame – www.panoramaoffshore.com.br

Publicado em Notícias

O presidente executivo da Plural (associação que reúne as empresas distribuidoras de combustíveis, antigo Sindicom), Leonardo Gadotti, reiterou a posição da entidade de que a aprovação do projeto de decreto legislativo que permite a venda direta de etanol pelos produtores aos postos de combustíveis não vai gerar preços menores na bomba.
"É uma falácia essa visão de que o produto chegará mais barato. Os estudos não mostram isso", diz Gadotti. "Haveria perda de controle de qualidade e de controle de processo".

O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou na noite da quarta-feira, 20, a urgência do projeto de decreto legislativo que permite a venda direta de etanol pelos produtores aos postos de combustíveis. Eram necessários 257 votos favoráveis para a urgência, mas só houve 213 apoios. Outros 98 deputados votaram não e três se abstiveram.
No Senado, ele foi aprovado por 47 votos a favor e apenas 2 contra. "É preocupante um projeto dessa natureza que mexe no setor todo. É uma medida eleitoreira, eu não tenho dúvida", diz. "Por que uma medida de urgência em um projeto tão importante, em um processo no qual não se escuta ninguém?".
"Por que a pressa? Essa é a grande questão? Político tem de discutir educação, que está com um nível horroroso, saúde, previdência social", afirmou Gadotti.

Em Brasília, a Plural tem trabalhado no sentido de esclarecer que a aprovação poderá criar um "buraco tributário". "Por que o congresso fecha os olhos em um momento tão difícil para a arrecadação?", questiona.
A entidade solicita que a discussão envolva um controle no recolhimento de impostos. "É necessário fazer pagar imposto, para que não seja criada uma competição desleal", diz.
Segundo a Plural, a sonegação relativa ao etanol hidratado é estimada em R$ 3 bilhões por ano. "Os maiores perdedores são os Estados".
Gadotti também acredita que o papel da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foi esquecido, na discussão. "A agência tem a obrigação de regular, e não o Congresso".

 

Junho, 2018
Fonte: Site Nova Cana – www.novacana.com

Publicado em Notícias

A energia solar no Brasil ultrapassou a marca de 1,5 Gigawatts de capacidade instalada e deverá fechar o ano com 2,4 GW, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).
Há um ano, a fonte solar abastecia cerca de 60 mil residências, número que pulou para 633 mil residências em 2018.

Ao todo são 30.039 sistemas instalados de geração distribuída no País, somando R$ 2,1 bilhões em investimentos desde 2012.
Somados à geração distribuída a centralizada, os investimentos são de R$ 6 bilhões, e até o final de 2018 devem atingir R$ 20 bilhões, informou o presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia.
O executivo disse que o Brasil já figura no grupo dos 30 países com mais de 1 GW instalado em energia solar, apesar de a fonte representar apenas 1% da geração total, mas que poderá chegar a 10% em 2030, segundo estudos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ressaltou Sauaia.
Segundo a Absolar, de cada megawatt de energia gerado entre 25 e 30 empregos são criados e o Brasil hoje contabiliza mais de 20 mil empregos diretos e indiretos no setor.
Os consumidores residenciais são os que mais procuram a fonte solar, com 77,4% do total de sistemas instalados no País, seguidos dos setores de comércio e serviços, com 16%; consumidores rurais, com 3,2% e indústrias, com 2,4%.
Os fatores que têm contribuído para o rápido crescimento da energia solar no Brasil, segundo a Absolar foi a redução de 75% no preço da energia solar nos últimos 10 anos e o forte crescimento no preço da energia elétrica, que desde 2012 subiu 499%, segundo o Ministério de Minas e Energia.
Além do preço, o BNDES anunciou recentemente uma linha para financiar pessoas físicas para terem acesso à energia solar distribuída, o que deve impulsionar ainda mais o setor.

 
Junho, 2018
Fonte: Ambiente Energia – www.ambienteenergia.com.br

 

Publicado em Notícias
Sexta, 25 Maio 2018 18:36

Alunos da EEP visitam a TURBIMAQ

Os alunos do curso de Engenharia Mecânica da EEP (Escola de Engenharia de Piracicaba) visitaram a TURBIMAQ no dia 11 de maio. A visita técnica dos alunos foi acompanhada e coordenada por integrantes da produção e da engenharia da empresa. Os alunos que estudam sobre termodinâmica - estudo das leis que regem as relações entre calor, trabalho e outras formas de energia - puderam obter maiores conhecimentos sobre o funcionamento e construção de uma turbina a vapor e seus componentes.
A TURBIMAQ agradece a oportunidade de poder compartilhar seu conhecimento com os futuros profissionais da turma de Engenharia Mecânica da EEP - Escola de Engenharia de Piracicaba.


Maio, 2018

Publicado em Notícias

O presidente norte-americano, Donald Trump, suspendeu a aplicação de tarifas de importações de aço e alumínio para produtos do Brasil, da União Europeia e de cinco outros países, informou o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer.
A suspensão, no entanto, não é definitiva e deve durar o tempo em que os países negociam uma possível isenção permanente. No último dia 8 de março, o governo de Trump impôs tarifas de 25% sobre as importações americanas de aço e de 10% sobre as de alumínio, despertando temores de uma guerra comercial generalizada.
Mesmo sendo temporária, a isenção impactou as ações das siderúrgicas na Bolsa. Após o anúncio, os papéis da Usiminas e da CSN viraram para forte alta enquanto os da Gerdau amenizaram as perdas.
No decorrer da tarde, as ações da Usiminas tinham ganhos de 3,3%, a 11,60 reais. A CSN registrava ganhos de 3,5%, com os papéis cotados a 9,17 reais e a Gerdau caía 1,5%, a 15,74 reais cada ação.

 


Abril, 2018
Fonte: Site Exame – www.exame.abril.com.br

Publicado em Notícias
Página 1 de 2

 

Av. Água Branca, 300 - Piracicaba - SP

Fone: +55 (19) 3437-5700
turbimaq@turbimaq.com.br
Linkedin

PRODUTOS E PROJETOS
Tecnologia e capacidade de produção.

 

POLÍTICA DA QUALIDADE
Gestão baseada na norma ABNT NBR ISO 9001.

TURBIMAQ 40 anos - Paixão movida a vapor